Bateram no meu carro sem seguro: Como devo proceder?

Bateram no meu carro sem seguro: Como devo proceder?

Eu não fiz o seguro e bateram no meu carro! Motivo de desespero? Muitas vezes sim. Infelizmente, a melhor forma de evitar esse problema teria sido antes de ele ocorrer, pois não é possível contratar o seguro quando já houve o acidente. Mas o desespero nunca é o melhor caminho.

Essa situação é bastante comum. O seguro auto protege o automóvel e o proprietário contra danos causados em acidentes, por terceiros ou pelo próprio motorista, dependendo da modalidade contratada. Ainda assim, em 2017, 70% da frota de veículos rodava sem seguro — segundo reportagem do Jornal do Carro.

Nesse cenário e na falta de uma atitude preventiva, não há o que fazer. Será preciso lidar com o problema – e o desespero não vai ajudar. Por isso, siga as orientações abaixo e, se está consultando este conteúdo logo após um acidente, os tópicos que relacionamos abaixo serão estratégicos para que você saiba o que precisará fazer.

Eles foram relacionados em uma ordem cronológica, pensando em cada passo que, com calma, deverá ser tomado. Os 3 primeiros são os mais urgentes e te permitirão tomar as providências imediatas, e depois você pode retomar a leitura e seguir os demais procedimentos. 

Se está lendo este conteúdo para se prevenir, melhor ainda. Seja como for, continue a leitura e saiba o que é preciso para lidar com situações de acidentes. 

Mantenha a calma

Dar atenção aos tópicos abaixo é importante para que saiba como proceder, mas não apenas para tomar as providências devidas, mas porque isso ajuda a manter a calma. Respirar fundo e evitar conflitos são as primeiras atitudes a tomar, ou você corre o risco de piorar a situação. 

Preste socorro

Negar socorro a quem precisa é um ato muito mais grave que uma infração de trânsito e pode trazer problemas sérios, além de agravar a penalidade em acidentes. Contudo, isso não significa que você precisa fazê-lo pessoalmente, até porque é preciso ter conhecimento para tanto. 

Sendo assim, você deve chamar uma ambulância imediatamente no caso de perceber que existem pessoas machucadas que precisam de atendimento. Elas não devem ser removidas, para evitar maiores danos, a não ser em casos específicos – por exemplo de explosão iminente.

Movimentar uma pessoa acidentada sem o devido conhecimento pode agravar a situação. Isso vale para você também. Se você se ferir é importante se movimentar o mínimo possível, especialmente o pescoço e a coluna vertebral, até receber socorro. 

Não obstrua a via

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, não é necessário manter os carros no lugar para que seja efetuada perícia, até porque a polícia não vai se dirigir ao local se não houver vítimas. Na verdade, obstruir a via é uma infração de trânsito, punível com multa.

Por isso, tão logo tenham sido tomadas as providências de socorro, será preciso tirar os veículos da pista. Caso eles não estejam em condições de tráfego, será preciso acionar um guincho, o que infelizmente não será barato se você não tiver um seguro.

Procure soluções amigáveis

Um processo judicial pode levar meses e não levar ao resultado que você espera. Por isso, caso a situação favoreça e o acidente não tenha causado vítimas, o ideal é negociar uma solução com os envolvidos, poupando gastos com advogados e um longo período de audiências, desgastes e outras despesas.

Em alguns casos é possível que outras pessoas envolvidas no acidente tenham seguro e, nessa situação, que você os use para cobrir suas despesas. No entanto, esse tipo de solução depende de a culpa ter sido do outro motorista, além de depender da sua colaboração. Por isso, é importante se prevenir contra problemas adotando as medidas abaixo, independentemente do que for combinado na hora.

Registre tudo que puder da ocorrência

Fotos dos veículos, das placas, das pessoas e documentos são registros importantes para que você tome medidas futuras, caso necessário. Se as pessoas envolvidas se negarem a fornecer as informações, você tem um motivo a mais para se preocupar, pois ou elas não sabem como agir e estão com medo, ou estão evitando assumir a responsabilidade.

Contate possíveis testemunhas

Por mais que as fotos ajudem a evidenciar o ocorrido, pessoas que estão no local e testemunharam a cena são fundamentais, tanto para provar inocência quanto culpa.

Caso seja necessário abrir um processo judicial, o ideal é que você possa contar com ao menos duas testemunhas. Mas é sempre bom se prevenir, pois algumas delas podem não se expressar com confiança, não terem testemunhado todos os detalhes ou não estarem dispostas a testemunhar. Elas poderão ser intimadas a comparecer, mas desde que você forneça os dados delas.

Registre um boletim de ocorrência

O boletim não precisa ser registrado na hora, pois a legislação de trânsito prevê que ele seja feito em até 6 meses depois do ocorrido, inclusive por meio da internet. O boletim é importante porque é um documento legal de registro do acidente, que pode ser usado em ações judiciais e, no caso de alguém ter o veículo segurado, para acionar a seguradora. No entanto, fora essa situação, ele não é obrigatório.

Acione o DPVAT

O DPVAT é o seguro obrigatório que você paga todos os anos quando licencia seu veículo. Recentemente, o governo editou uma medida para extingui-lo, mas ela foi rejeitada. De qualquer modo, se você pagou o seguro, tem direito a ele e pode usá-lo para minimizar o problema – em relação a danos às pessoas, pois ele não cobre estragos ao carro. 

Aliás, saiba que, se você não fez o seguro e foi culpado pelo acidente, poderá ser responsabilizado, inclusive, por eventuais tratamentos médicos, danos morais e físicos. 

Previna-se para o futuro

Depois de resolvido o problema, é o momento de se prevenir. Faça um seguro auto! Especialmente se o carro é financiado ou se você precisar assumir despesas em decorrência do acidente, o seguro será essencial para evitar o agravamento do problema.

Ninguém espera que um sinistro ocorra um em seguida ao outro, mas se acontecer você já terá sentido o abalo do primeiro e existe uma boa chance de você ter problemas financeiros mais sérios com o segundo.

Uma batida envolvendo um carro de luxo, por exemplo, pode criar dificuldades seríssimas. É verdade que não existem muitos carros Ferrari circulando por aí, mas basta um no seu caminho para você voltar a se perguntar com um grau a mais de preocupação: bateram no meu carro com um carro de milhões, será que o gerente do banco está de bom humor? 

Compartilhe essa postagem e divida esse conhecimento com sua rede. Eles podem ser úteis em situações difíceis. 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

7 Comentários

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.