Financiamento de veículo: confira 5 pontos para se atentar

Realizar um financiamento de veículo é uma saída bastante comum para brasileiros que desejam adquirir o carro dos sonhos. Essa prática consiste em encontrar uma instituição de qualidade e obter, por meio dela, um empréstimo que seja adequado às suas condições.

Como se sabe, ao longo de um prazo pré-determinado é necessário devolver esse valor acrescido de juros. Contudo, por mais tentadora que seja a proposta, é preciso ter alguns fatores em mente. Ao considerá-los, você garante que essa escolha seja uma oportunidade segura e vantajosa.,

Confira este post e conheça os principais pontos a serem priorizados ao conquistar seu automóvel!

1. As taxas de juros

Como você provavelmente já sabe, elas podem ser os maiores inimigos de um bom financiamento de veículo. Mesmo que o prazo de pagamento seja alto, uma taxa exageradamente alta é capaz de arruinar seu processo.

Antes de fechar negócio, faça as contas. Quanto a mais você pagará naquele automóvel em juros? A quantia compensa em relação ao valor do produto? Trata-se de custo-benefício e não de um gasto além do normal?

Responder essas perguntas te ajuda a tirar o foco da estética e funcionalidade do automóvel e te onde deveria estar: no racional. Uma boa forma de não ser passado para trás nesse sentido é também analisar outras taxas disponíveis em diferentes locais. Quando você encontrar a média do mercado, facilitará sua decisão.

2. O orçamento pessoal

Ao realizar o passo acima você passa a conhecer o preço real do carro. Ou seja, o quanto ele custa no mercado, somado ao que se tornará juros no final do contrato. Essa é uma informação importante, mas existe uma que é ainda mais imprescindível: seu bolso.

Os prazos e parcelas oferecidos cabem em sua realidade financeira ou você se comprometerá com um valor que não é capaz de pagar e gerará uma dívida? A dura verdade é que esse tipo de negócio é realmente interessante para quem busca adiantar a conquista de um sonho.

Porém, se não for corretamente pago, pode se tornar um pesadelo. É por isso que a análise de seu planejamento pessoal é essencial no processo.

Outro ponto importante a se considerar é o seu orçamento futuro. Afinal, não é segredo para ninguém que carros tendem a se desvalorizar com o tempo. Se você optar por parcelas muito pequenas e que se estendem por longos prazos, pode pagar por um item desvalorizado no mercado e que será apenas um gasto extra em seu planejamento financeiro, em vez de um amparo.

É uma boa ideia considerar que automóveis demoram, em média, 36 meses para se desvalorizarem. Assim, evite buscar a otimização de seu orçamento ao estender demais as parcelas. Essa atitude tende a ser um tiro no pé.

3. O mercado

Você sabe quanto o veículo financiado vale à vista? Parece bobeira, mas conhecer esse valor te ajudar a identificar um mau negócio com facilidade. Além de pesquisar financiamentos diferentes, conforme recomendado, conhecer o preço real do carro também é uma boa estratégia.

É claro que você deve levar em consideração que não encontrará um financiamento que se equipare ao à vista. Afinal, não seria uma boa transação para nenhuma das partes envolvidas, certo? Contudo, encontrar a melhor condição entre as disponíveis deve ser o seu foco e a análise de mercado tende a ajudar muito nesse momento.

Colete dados sobre diferentes CETs, entenda como cada instituição lida com juros e parcelas e busque por valor agregado. De nada adianta encontrar uma empresa que venda serviços baratos, mas com a qual você nunca poderá contar ao longo do processo e após sua conclusão.

Uma boa financiadora vai além de preço. Ela inclui atendimento humanizado, proximidade com as necessidades reais de seus consumidores e uma visão profissional sobre o mercado. Ao se atualizar em relação às diferentes possibilidades, você será capaz de entender melhor a importância de contar com o máximo de qualidade disponível.

4. As condições oferecidas

Durante o financiamento de veículo é muito importante entender o que culmina em boas condições. Em geral, o pulo do gato é o risco envolvido no processo. É por isso que praticamente todas as instituições financeiras realizam a análise de crédito antes de montar um contrato e apresentá-lo.

Caso a equipe responsável perceba que o cliente tem um bom score, não tem um mau histórico de inadimplência e que seu salário é capaz de cobrir o que está sendo pedido, ela oferecerá taxas suaves e próximas às suas necessidades.

Se esse for seu caso, ótimo! Basta aproveitar o poder da barganha e encontrar condições excelentes para realizar seu sonho. Caso contrário, é importante saber que, provavelmente, o financiamento pesará mais em seu bolso.

Ao seguir as duas dicas acima, será simples entender sua situação em específico. Além disso, na hora de encontrar o melhor custo de oportunidade possível, ou seja, o valor daquilo que será renunciado para que você tome sua decisão, é preciso olhar atentamente todas as condições oferecidas e calcular se o negócio realmente cabe na sua vida. Se a resposta for sim, é hora de seguir os próximos passos!

5. O real dinheiro gasto no financiamento de veículo

Quanto você compra um carro de setenta mil reais, é provável que acredite, mesmo após o financiamento, ter pagado setenta mil reais nele. Porém, o cálculo não funciona exatamente assim. Nesse caso, seu gasto verdadeiro será formulado pela relação entre:

  • valor pago;
  • sua depreciou ao longo do tempo;
  • juros de cada parcela;
  • custo do financiamento;

Uma vez que um automóvel deprecia rapidamente, é difícil que o dinheiro investido retorne a você de alguma forma. Sendo assim, você só conhecerá o real custo do negócio quanto levar o chamado “valor imobilizado” em consideração. Ainda assim, em muitos casos, a conta fecha e a negociação realmente compensa. Para isso, basta que todos os itens citados estejam alinhados com seu planejamento financeiro pessoal.

Finalmente, é interessante ter em mente que qualquer automóvel, seja ele comprado à vista, seja financiado, terá custos. Manutenção, gasolina, IPVA e revisão são apenas alguns deles. Um estudo realizado pelo Instituto DiSOP indica que o custo mensal de um carro é 3% de seu valor mercadológico.

Todos esses fatores culminam em um só: a importância de realizar um bom financiamento de veículo. Essa opção pode ser uma mão na roda, desde que caiba em sua realidade e que conte com valor agregado na proposta — e não apenas com números que parecem atraentes a primeira vista. Busque por uma empresa referência no assunto!

Gostou desse conteúdo? Então não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais e de levá-los a outras pessoas!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.