manutenção de pneus

Manutenção de pneus: conheça os principais cuidados

Esquecer ou negligenciar a manutenção de pneus é um bom modo de diminuir a vida útil de alguns componentes da suspensão, aumentar o barulho do painel com o tempo e, de brinde, comprometer a segurança de passageiros, pedestres e outros motoristas que cruzam com você.

Mesmo assim, muitos de nós não dão a atenção devida a esse procedimento. O motivo é simples e até compreensível. Esses efeitos se manifestam gradualmente e não parecem evidentes enquanto não ocorre um acidente ou outro problema grave.

A verdade é que essa é uma característica de toda atividade preventiva, ou seja, de se antecipar ao problema e evitá-lo antes que ocorra. O importante é que você chegou até aqui. Se se interessou sobre o tema é porque está consciente de sua importância. Por isso, parabéns! E vamos logo ao que interessa! Confira abaixo tudo o que você precisa saber sobre o tema!

A importância da manutenção de pneus

Desde a melhora no conforto de uso do veículo, até como maneira de evitar acidentes graves, com perda total ou grandes danos aos condutores e passageiros, a manutenção correta dos pneus é fundamental.

Um indicativo dessa importância está na atenção que compradores dão ao estado dos pneus no momento de trocar de carro. Além de verificarem se precisarão gastar com a troca no curto prazo, o bom estado é uma referência do cuidado do proprietário com o veículo.

Outro aspecto que muitos não dão conta é que um dos custos mais representativos de propriedade de um veículo é a depreciação. Quando você vende o seu automóvel, obviamente recebe apenas parte do valor que pagou por ele e essa diferença representa um custo, que é relativo e, normalmente, proporcional ao período que permaneceu com o bem.

A situação na qual esse valor é desproporcional é, justamente, aquela em que as condições de conservação do veículo não correspondem ao ano de fabricação e à quilometragem rodada dele.

Isso significa que economizar na manutenção e na prevenção costuma ter um efeito negativo no longo prazo, quando essa economia se transforma em uma perda, justificando o velho ditado de que “o barato sai caro”.

O que é preciso ter em mente é que um automóvel é uma máquina e, como tal, cada componente depende do perfeito funcionamento dos outros itens. O funcionamento irregular ou em condições desfavoráveis de qualquer peça pode comprometer as outras, gerando prejuízos, desgastes desnecessários e um custo de manutenção mais alto. Isso sem contar o grande risco de acidentes.

Desse aspecto, considere que boa parte deles e os mais graves tendem a ocorrer em maior número em condições de chuva. Estradas, ruas e avenidas molhadas aumentam o espaço necessário para parar o carro, diminuem a visibilidade e favorecem derrapagens. 

Fora a diminuição da visão do motorista, os mesmos efeitos que ocorrem nos dias chuvosos, como o aumento da distância de frenagem, também são produzidos por condições precárias dos pneus, que, quando somados a uma condição de chuva, aumentam ainda mais o risco em pistas molhadas.  

E lembre-se! A velocidade e a ingestão de bebidas alcoólicas são outros fatores que se somam aos que mencionamos, agravando o risco, o que gera um quadro no qual as chances de evitar um problema mais grave quase desaparecem. Quanto maior o número de detalhes que podem causar acidentes que são deixados de lado, maiores as possibilidades de ocorrências mais graves. Esses casos, em sua maioria, são decorrência de uma soma de pequenos descuidos.

O pneu careca e seus perigos

Dentre os problemas de manutenção, os pneus carecas são causa de vários acidentes e problemas. Por isso, separamos alguns desses efeitos. Veja!

Aquaplanagens

Os pneus modernos são altamente eficientes em pistas molhadas, ainda que esse continue sendo um terreno mais perigoso. Os sulcos aplicados aos melhores produtos facilitam o escoamento da água e evitam a aquaplanagem, que é aquele efeito no qual o carro perde a direção e a estabilidade, pois o pneu diminui o seu contato com o solo.

Com os pneus desgastados, esses sulcos ficam menos profundos e perdem sua eficácia, aumentando os riscos de acidentes. Em situações mais graves, é como se você estivesse dirigindo em cima de uma pedra de gelo, sem nenhum controle, mas até mesmo uma poça d’água pode causar um acidente.

Derrapagens e atolamentos

Mesmo em pistas secas, os sulcos oferecem maior resistência e atrito com o solo, evitando derrapagens, aumentando o controle em curvas e nas freadas. Quando o carro atola, os sulcos profundos também fazem falta para gerar o contato necessário com o solo e facilitar a saída.

Tempo maior de frenagem

O tempo que o carro demora para frear também depende da intensidade do atrito com o solo. Quanto menor ele for, maior o espaço necessário, o que é agravado com as chuvas e pistas sujas com restos de pneus, óleo e barro.

Redução da estabilidade

Outro item que depende do contato com o solo. É por isso que os carros de Fórmula 1 são equipados com os aerofólios, eles usam o vento produzido com a velocidade para empurrar o carro na direção do chão e aumentar o contato, evitando, inclusive, que o carro saia do chão. Você não vai precisar andar tão rápido, mas o efeito é o mesmo em uma proporção diferente.

Multas

Talvez a falta de regulagem dos faróis, por exemplo, passe despercebida de um guarda de trânsito, mas um pneu careca é muito fácil de identificar. Isso não é motivo para andar com faróis desregulados, mas é um ótimo argumento para dar toda atenção aos pneus. Ambas as faltas são punidas com multa e pontos na carteira.

Os cuidados essenciais com os pneus

Pois bem, agora que refletimos sobre a importância dos pneus e, de modo geral, dos cuidados de manutenção, podemos partir para o conteúdo central desta postagem: nossas dicas de cuidados. Vai encontrá-las abaixo, organizadas na forma de sub-tópicos.

Antes disso, saiba que os cuidados começam com a forma com que você dirige. Mudanças bruscas de direção, uso excessivos dos freios, paradas bruscas desnecessárias e derrapagens propositais são fatores que aumentam o desgaste e prejudicam a vida útil desses itens. Agora, podemos partir para as dicas de manutenção propriamente ditas. Veja!

Mantenha a pressão adequada   

O desempenho ideal depende diretamente de uma pressão adequada, que também influencia a segurança, a dirigibilidade e economia de combustível. Checagens frequentes são importantes. Por isso, faça ao menos uma verificação mensal, sempre com os pneus frios, pois o efeito de dilatação provocada pelo aquecimento altera a medição.

Além disso, saiba que a tecnologia aplicada aos pneus modernos — especialmente no caso dos radiais, bem como nos mecanismos das direções, como no caso das direções elétricas e hidráulicas —, podem dificultar a percepção de quando eles estão vazios. Sem fazer a verificação não é possível perceber variações que são sutis a nossa sensibilidade, mas prejudiciais para o perfeito funcionamento.

A perda de ar frequente ou muito rápida pode ser ocasionada por fatores diversos, como cortes, perfurações, impactos, desgaste, assentamento incompleto, vazamento do núcleo da válvula ou problemas em outros de seus componentes, mas muitas vezes o esvaziamento é lento, dependendo da extensão do dano.

Nesses casos, procure pela avaliação de um especialista sempre que observar pressão baixa repetidamente. Ele vai remover o pneu e verificar a fonte de vazamento e a melhor forma de reparação.

Atualmente, já existem sistemas capazes de fazer esse controle. Chamados de Tire Pressure Monitoring System (TPMS), que significa Sistema de Monitoramento da Pressão dos Pneus, esses equipamentos utilizam sensores instalados no interior do pneu que monitoram a pressão e a temperatura e enviam esses dados via rede sem fio para uma central. 

Considere as recomendações

Ainda com relação à pressão dos pneus, verifique o manual de proprietário do veículo, a etiqueta indicativa colada no mesmo ou as informações disponibilizadas eletronicamente pelo fabricante sobre o nível de pressão recomendado. 

Poucas coisas são tão importantes para a durabilidade dos seus pneus do que a atenção a essa recomendação, que costuma variar de acordo com a carga do veículo. Uma pressão inferior a essa recomendação pode ocasionar rupturas graves, separação de componentes ou até fazer com que o pneu “exploda”, ocasionando acidentes graves.

Além disso, a capacidade de carga também é diminuída com baixa pressão, o que pode piorar os efeitos se o carro estiver com peso acima do limite. A sobrecarga pode fazer com que o conjunto opere em temperatura acima do normal e pode provocar danos mecânicos.

De outro lado, a pressão exagerada aumenta a rigidez, dificultando a condução e gerando vibrações que causam danos ao veículo, especialmente na separação de componentes de revestimento interno, gerando ruídos contínuos e incômodos que, além de tudo, dificultam a negociação no momento da venda.

Não force a estrutura dos pneus

Eventualmente o veículo pode atolar na lama ou areia, exigindo que você tome providências para voltar a rodar. Além de piorar a situação, prendendo o carro cada vez mais fundo, o giro excessivo dos pneus gera forças centrífugas no conjunto que podem causar até mesmo um estouro dos pneus. 

Quando a roda gira livremente, sem atrito suficiente com o chão para colocar o carro em movimento, ela opera em condições totalmente anormais. Como não foi projetada para isso, perde resistência e pode causar acidentes graves, especialmente se alguém estiver perto. O limite de 55 km/h no velocímetro é um bom parâmetro de alerta. Nunca exceda essa velocidade. 

Você pode movimentar o carro para frente e para trás, pois isso facilita a correção do problema, mas em baixa velocidade. Além de tudo, insistir não vai adiantar absolutamente nada, pois o carro nunca vai sair do lugar enquanto o pneu girar em falso. De qualquer modo, não permita que ninguém fique muito próximo aos pneus, nem na linha de trajeto deles.

Verifique o estado dos pneus periodicamente

Se existe uma verdade em relação aos pneus é que eles vão desgastar com o uso, mas isso não significa que possamos prever um tempo fixo de substituição, pois essa deterioração varia de acordo com os cuidados tomados, a quilometragem rodada e as condições do veículo e do terreno. Por isso, você precisa verificar o estado deles com frequência — ao menos mensal.  

Desgaste

Todos os pneus novos têm indicação de desgaste da banda de rodagem. Eles aparecem nos sulcos na forma de declives suaves, quando desgastados. Pneus carecas ou quase vazios são dois fatores de grande incidência de acidentes em pistas molhadas e escorregadias. 

Além disso, o desgaste também facilita que ocorram furos, uma vez que deixa a borracha mais fina, bem como cortes e estouros. É semelhante a tentar rasgar uma folha fina de papel em comparação a um papelão grosso, com alguns centímetros de espessura.

Danos

Por maior que seja o seu cuidado, mesmo um pneu novo pode sofrer danos eventuais, principalmente se o carro trafega constantemente em estradas de condições precárias, com buracos e irregularidades. 

Sendo assim, faça uma inspeção frequente — reforçando, no mínimo mensal. Se tiver dificuldade de fazer essa análise, peça ajuda a um especialista. No entanto, o que precisa ser verificado é, principalmente, se existem fissuras, protuberâncias, perda constante de ar, impactos e penetrações.

No caso de encontrar problemas, não faça reparos provisórios, ou improvise com o uso de uma câmara de ar no lugar de fazer um reparo definitivo do pneu sem câmara. Elas são produzidas para serem usadas no interior de pneus sem danos, pois não têm resistência para substituí-los, mesmo que parcialmente. Além disso, esteja seguro de confiar o reparo a um profissional especializado, nosso próximo tópico.

Confie os seus pneus a especialistas

Tentar montar o seu próprio pneu ou solicitar o serviço para alguém sem o conhecimento necessário pode ocasionar graves problemas, pois a montagem inadequada pode gerar explosões do conjunto, inclusive enquanto ocorre a montagem ou reparo, o que pode ferir seriamente quem estiver por perto. 

Somente pessoas treinadas devem montar os pneus, especialmente os de maior porte, como os de caminhão e de alguns “fora de estrada”. Principalmente nesses casos, detalhes de lubrificação, montagem dos aros e de pressão durante a manipulação podem ocasionar acidentes fatais, seja durante a montagem, seja enquanto o pneu roda incorretamente em um veículo.

Não misture pneus diferentes

Exceto quando recomendado pelo fabricante do veículo, o ideal é usar os 4 pneus do mesmo tipo e tamanho, o que é ainda mais importante para rodados do mesmo eixo do veículo. 

Produtos diferentes causam desconforto, prejudicam a dirigibilidade, a estabilidade e o perfeito funcionamento das peças de suspensão, que podem ser sobrecarregadas, diminuindo sua vida útil. 

Além disso, tenha cuidado ao substituir todo o jogo de pneus por outros de tamanhos e características diferentes do original. Usar medidas que não as recomendadas pelo fabricante do automóvel podem afetar variados aspectos de manutenção, conforto, dirigibilidade, estabilidade e gastos. 

Ao instalar pneus diferentes, consulte um profissional especializado, capaz de verificar a capacidade de carga, a folga adequada e a pressão ideal. Em qualquer caso, você nunca deve exceder a capacidade máxima de peso recomendada pelo fabricante, pois isso pode gerar multas, danos ao veículo, aos pneus e acidentes. 

Faça a manutenção periódica da suspensão

Os componentes da suspensão são projetados para funcionar em conjunto. Sendo assim, qualquer falha em um deles pode prejudicar o funcionamento e a durabilidade do outro.

Por isso, as buchas e os outros itens da suspensão também precisam ser verificados periodicamente. Desse modo, o conjunto funciona perfeitamente e os seus pneus não são sobrecarregados mecanicamente.

Faça o alinhamento e o balanceamento das rodas

Outro detalhe determinante, que também é um procedimento de manutenção, é o alinhamento e o balanceamento. Choques em buracos na via, em guias e em decorrência de pequenos acidentes podem promover o desalinhamento, ocasionando desgaste desigual e problemas de desempenho, que geram prejuízo e diminuem a vida útil dos pneus, além de comprometer a segurança. 

Siga essas dicas adicionais

Para concluir este tópico, segue uma lista final de detalhes que merecem a sua atenção. São eles:

  • não use pneus radiais e não-radiais no mesmo eixo de um veículo;
  • não instale pneus com diferentes classificações de velocidade em um mesmo automóvel;
  • se o fizer por algum motivo inevitável, prefira aplicar pares de mesma classificação ou semelhantes em cada eixo;
  • evite rebaixar ou elevar a suspensão de modo artesanal ou com improvisos, pois toda a suspensão pode ser prejudicada por mau funcionamento;
  • se for necessário mudar o tamanho dos pneus, consulte um especialista para verificar a possibilidade de fazer os ajustes necessários em outros componentes, especialmente no aro;
  • nunca ultrapasse a capacidade de carga máxima e pressão listadas no costado do pneu ou a determinada pelo fabricante do veículo;
  • dirija com o máximo de segurança e precaução, com respeito às leis de trânsito;
  • evite manobras bruscas e repentinas — elas podem causar acidentes e são prejudiciais aos pneus (isso inclui freadas repentinas sem necessidade e derrapagens propositais);
  • mantenha o estepe calibrado e pronto para uso.

Os serviços de seguro para pneus

Já faz algum tempo que o seguro auto não se limita às coberturas convencionais, como a contra acidentes, a para terceiros e o benefício de franquia reduzida. Atualmente, existem possibilidades diversificadas, que oferecem uma ampla variedade de serviços e vantagens, o que inclui a manutenção de pneus. 

Isso permite que, especialmente com o auxílio de um bom corretor, você possa escolher um seguro personalizado, que atenda de modo mais específico às suas necessidades em termos de cobertura e também dos serviços adicionais que oferece.

No esforço de entregar soluções cada vez melhores, algumas seguradoras mantêm centros automotivos e realizam a manutenção do veículo com serviços como:

  • alinhamento e balanceamento;
  • reparo de pneus;
  • troca de óleo;
  • limpeza do ar-condicionado;
  • cristalização do para-brisa: que consiste na aplicação de um produto que repele a água, facilitando a visibilidade em dias chuvosos;
  • revisão das luzes.

Muitos desses serviços são gratuitos, o que reflete a preocupação de algumas seguradoras em investir na prevenção, o que é vantajoso do aspecto humano, uma vez que pode poupar vidas, do social, do financeiro, do relacionamento e da experiência que você vivencia como segurado. Ou seja, só traz vantagens para todos os envolvidos.

Outra característica desses centros é a qualidade e a capacitação técnica dos profissionais, que ainda contam com excelentes equipamentos e ferramentas. Para se ter uma ideia, já existem seguradoras operando com a desinfecção dos automóveis, em uma resposta rápida à pandemia. 

O que isso muda na corretagem?

Nos últimos 5 anos a Valiant Seguros se consolidou como especialista em seguros sob medida. Por isso, ao menos para nossa corretora, a ampliação no número de serviços e benefícios ofertados por parte das seguradoras é um fator de facilitação do nosso trabalho, o que não nos impede de agregar a eles nossos próprios e exclusivos complementos.

Em nossa experiência, o mais importante é ajudar o cliente a identificar e analisar a importância e a viabilidade de cada proteção, o que precisa ser feito segundo critérios financeiros e da forma mais fácil possível. Afinal, o cliente quer garantir segurança e proteção, não passar horas em busca de informações.

Por isso, consideramos que é trabalho da corretora reunir e apresentar cada detalhe que o cliente precisa conhecer para tomar sua decisão de modo embasado, mas de forma simples e de fácil entendimento. Isso exige uma abordagem consultiva, ou seja, na qual o atendimento é executado com o objetivo de facilitar a decisão do cliente, fornecendo as informações e a orientação especializada que ele precisa para embasar sua avaliação.

Com nossa equipe mais focada nas demandas dos nossos clientes, conseguimos buscar soluções mais efetivas, personalizadas e com maior custo-benefício. Por isso tudo, consideramos que essa política é um dos fatores que nos garante a posição de referência em corretagem, seja perante seguradoras renomadas, seja entre colegas, seja, principalmente, diante dos clientes.

Nossa vivência no segmento também evidencia a necessidade de focar na qualidade e no valor agregado que um seguro pode proporcionar. Essa postura tem nos rendido uma relação cada vez mais próxima ao segurado e com características de uma parceria efetiva e autêntica.

Atualmente, nossos clientes nos indicam por meio de nosso APP e são remunerados por isso. Essa aliança cria uma proximidade única, o que é fundamental para que nossas contribuições e o nosso esforço para apresentar soluções personalizadas, de modo a facilitar a gestão de risco para cada um deles, promovendo segurança na medida que cada um necessita.

Afinal, não conseguimos fazer isso sem estabelecer uma boa dose de confiança no nosso trabalho. Desse ponto de vista, o engajamento e participação dos clientes no nosso programa de indicações, usado por meio do aplicativo que mencionamos, é uma medida importante da confiança que depositam em nós. Ou você indicaria um serviço no qual não confia?  

Essa abordagem também é o motivo de produzirmos conteúdos diversificados para você, como o caso deste que acaba de ler, sobre manutenção de pneus. Eles nos ajudam a demonstrar nosso propósito de parceria, ao mesmo tempo que oferecem conhecimento útil e relevante. Também esperamos que essa troca nos aproxime, desperte o seu interesse em saber mais sobre nós e sobre como podemos ajudá-lo.

Chegamos a esse momento? Entre em contato e conheça o nosso atendimento!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

4 Comentários

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.