valorização de imóvel

O que influencia na valorização de um imóvel?

A compra e venda imobiliária é uma das formas mais tradicionais de investimento no Brasil, por isso, aproveitamos o momento para elaborar este conteúdo exclusivo sobre o tema, explicando os principais fatores que contribuem para valorização de imóvel.

O nosso objetivo é listar e esclarecer as principais curiosidades a respeito do tema, explicando o que é a valorização e quais são os gatilhos que favorecem esse movimento sobre os preços de uma unidade. Não perca tempo e acompanhe!

O que é a valorização imobiliária?

Como sugere o nome, a valorização é o movimento ascendente dos preços de determinado objeto. No mercado imobiliário, a valorização pode ser observada na alta do valor de ativos como terrenos, lotes, apartamentos, casas, prédios, salas comerciais e afins.

A valorização imobiliária, no entanto, não acontece por razões aleatórias, mas sim por motivos bem fundamentados. Elaboramos este artigo justamente para apontar alguns critérios determinantes para a decisão de compra de imóveis com alta probabilidade de valorização.

Quais são os fatores que influenciam na valorização de imóvel?

Ao todo, existem oito fatores determinantes para a valorização de uma unidade imobiliária:

  1. localização;
  2. infraestrutura regional;
  3. lazer;
  4. tecnologia;
  5. segurança;
  6. exclusividade;
  7. dimensão;
  8. comodidade.

No geral, quanto mais qualidade e mais desses critérios listados o imóvel tem, maior é o preço dele. Continue a leitura e saiba mais sobre cada um dos itens listados acima.

1. Localização

A começar pelo fator mais óbvio de todos: a localização determina muito da qualidade de vida dos moradores e/ou usuários do imóvel em questão. Quanto melhor for a localização, menos tempo de deslocamento e maior é a oferta de serviços locais.

Por conta disso, é comum que regiões centrais apresentem preços mais altos em relação às regiões periféricas. Quanto mais perto de universidades, comércios, escolas, hospitais, shoppings e polos empresariais, maior é a demanda pelo imóvel, portanto, maior é o preço para a sua aquisição.

Sendo assim, é comum que especuladores imobiliários busquem regiões em desenvolvimento, investindo na expectativa de que a localização receba moradores, comércios e obras de infraestrutura, causando uma movimentação ascendente no preço dos imóveis locais.

2. Infraestrutura

Já aqui, falamos da infraestrutura regional, ou seja, as utilidades públicas distribuídas na região. Como exemplo, destacamos linhas de metrô, terminais de ônibus, hospitais, universidades e escolas públicas, avenidas, parques e afins.

Além disso, vale destacar utilidades ocultas, mas que podem contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos habitantes, como saneamento básico, internet de fibra óptica, postos para carregamento de carros elétricos, e assim por diante.

3. Lazer

O lazer pode ser tanto um fator relacionado à região quanto à unidade imobiliária em si. No caso do próprio imóvel, falamos da área de lazer disponível no perímetro do terreno, como extensos jardins, gramados, varandas, piscinas, edículas e afins — tudo isso alavanca o preço de um imóvel.

Pensando do ponto de vista regional, o valor do imóvel pode aumentar em função da oferta de entretenimento local, com um grande número de restaurantes, bares, cinemas, parques, teatros, cafés, sorveterias, museus, danceterias e afins nas redondezas.

4. Tecnologia

Assim como o lazer, a tecnologia pode ser um critério do imóvel ou da região. Pensando no imóvel em si, destacamos diferenciais de modernidade, como soluções de casa inteligente, que centralizam comandos e tarefas aos dispositivos dos moradores.

Por outro lado, a tecnologia também pode estar ligada à região. Localizações tecnológicas são as que se beneficiam de novidades técnicas antes das demais regiões da cidade, como ruas que já recebem a cobertura 5G, bairros com acesso à internet de fibra óptica, condomínios com comunidades fechadas em aplicativos, e muito mais.

5. Segurança

Novamente, um fator que pode estar relacionado ao imóvel ou ao local. Tratando-se do imóvel, falamos de diferenciais técnicos, como circuito fechado de câmeras, fechaduras biométricas ou por senha, presença de cofres, contrato de vigilância privada, soluções contra incêndios, quarto do pânico e muito mais.

Do ponto de vista local, tratamos de segurança pública. Bairros com menor incidência criminal, em termos de assaltos, furtos e agressões, tendem a ser mais valorizados pelo mercado, justamente pela demanda crescente por esses cosmos de segurança dentro das grandes cidades.

6. Exclusividade

Obviamente, como não poderia faltar, destacamos a sofisticação e a singularidade. Todos os critérios acima são fatores objetivos para a valorização de um imóvel, pois apresentam qualidades técnicas facilmente observáveis no cotidiano dos moradores.

A exclusividade, no entanto, é um fator de valorização relativo, que tem apelo apenas a um grupo restrito de consumidores. Essa exclusividade pode existir na assinatura do profissional de arquitetura responsável pelo imóvel ou pela mobília, por exemplo.

7. Dimensão

Assim como a localização, o tamanho do imóvel é um dos indicadores mais práticos para a observação de seu valor. De certa forma, quanto maior é a área construída, maior é o valor da unidade — comparando entre imóveis de mesma localização e modelo de construção.

Esse é um fator ainda mais especial na atualidade. Com a concentração de pessoas nas metrópoles, é comum que as empreiteiras adotem cada vez mais os projetos inteligentes, diminuindo o tamanho das unidades e fazendo do espaço um diferencial valioso no mercado.

8. Comodidade

Por fim, mas não menos importante, estão os fatores de comodidade. Aqui, falamos do número de vagas no estacionamento, a presença de totens para carregamento de veículos elétricos na garagem, elevadores, salão de festas, academias, cinemas etc.

A comodidade é um fator mais comum quando falamos de apartamentos, mas elas também valem para as casas, bastando que o imóvel apresente essas áreas para se destacar em relação às demais unidades disponíveis no mercado.

Além de tudo o que já mencionamos, devemos considerar a conservação como uma parte determinante para a valorização do imóvel. Pense bem: de nada adianta um imóvel com todas as qualidades listadas neste artigo se ele não apresentar condições ideais de uso e aparência.

É com isso em mente que os proprietários e investidores sempre devem contratar uma boa apólice de seguro, garantindo o rápido reparo e a manutenção em caso de problemas. Agora que você sabe que essa é uma parte determinante para a valorização de imóvel, aproveite para entrar em contato com a nossa equipe!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

5 Comentários

  1. Tracker auto preta 8000km ano1918 único dono

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.